ERRATA. Pagina181 errou ao citar nome de Aérton Lessa Neto Limeira em escândalo na Sesau

Em face da matéria publicada neste Portal – PÁGINA18 – sob o título “Renan Filho exonera chefe da Controladoria-Geral, que havia antecipado fraudes na Sesau” em que cita EQUIVOCADAMENTE e de natureza IMPROCEDENTE o nome do Sr. Aérton Lessa Neto Limeira, MD Secretaria Municipal de Saúde da prefeitura de Marechal Deodoro, na Grande Maceió, a bem da verdade e eximindo o Sr. Aérton Lessa Neto Limeira de qualquer relação com a trama investigada pela Polícia Federal durante sua passagem pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), este veículo de comunicação, de forma sensata e fazendo justiça a verdade, se retrata publicamente por todos os males causados a este servidor, ao mesmo tempo que publica sua nota de esclarecimentos.

Em minha rápida passagem na Secretaria Estadual de Saúde, entre novembro de 2015 e abril de 2016, fui convidado para buscar melhorias na gestão interna, sobretudo a melhoria do abastecimento das unidades.  

Desde a segunda semana de trabalho sofri um isolamento por parte da secretária e toda sua equipe, visto que não participava de nada lá dentro. Nenhum, exatamente nenhum processo de despesas, aquisição de produtos, licitados ou não, passou pelo meu gabinete. Em minha vida pública nunca concordei em realizar qualquer tipo de fracionamento ou qualquer desvio de processo licitatório. Dessa forma no final de março de 2016, deixei o meu cargo à disposição por não ter meios de ajudar a melhorar a gestão interna da Sesau. Na referida operação não fui convocado para nenhum esclarecimento, pois em nenhum processo de despesa consta qualquer, ordenamento, assinatura, despacho ou encaminhamento meu. Pois, ciente da gravidade que representa o fracionamento no setor público, e os trâmites da lei 8.666, não concordaria em nenhum processo de aquisição que fosse fora da legislação.   Nem mesmo das despesas licitadas conforme manda a lei 8.666, passaram pelo meu gabinete, ou mesmo de ordenamento financeiro, uma vez que fui totalmente isolado. 

Além disso, a notícia cita que fui envolvido na operação da Polícia Federal do Mestrado da UFAL, a qual não imagino de onde se tenha tirado essa informação. Não fiz, nem me inscrevi, nem pesquisei, nem me informei do tal mestrado. Possuo duas graduações, e 3 pós-graduações , nenhuma concluída na UFAL, e todas pagas com os meus proventos.  E ainda mais, me cita como candidato a prefeito e ex-secretário de Murici.  Nem filiado a partido político sou e também nunca fiz parte da gestão de Murici. A minha passagem na vida pública foi nas secretarias de administração de Palmeira dos Índios, de Saúde também em Palmeira dos Índios, e também no município de Igaci, além de não ter me envolvido em nenhum ilícito, foi repleta de destaques a nível estadual e nacional, com prêmios nacionais e internacionais.   E quase uma centena de matérias positivas foram publicadas de inúmeras ações realizadas.

Por fim, prezando pela verdade, este veículo de comunicação reitera que nada que denigra a imagem e a honra do Sr. Aérton Lessa Neto Limeira foi encontrado para dá sustentação a esta matéria.