Benedito de Lira, Renan Calheiros e Teotônio Vilela: denunciados na Lava Jato

SENADORES As atenções de grande parte da mídia brasileira estarão voltadas para Alagoas com a proximidades das eleições porque envolve um dos principais políticos em nível nacional, o ex-presidente do Congresso, senador Renan Calheiros, e que hoje responde a dezesseis processos no Supremo Tribunal Federal, segundo matéria veiculada pelo programa Fantástico da Rede Globo.

Entretanto, até o momento está difícil descobrir quem realmente irá disputar as duas vagas existentes para o Senado em 2018. São vários os nomes que hoje ganham os noticiários na mídia: Biu de Lira, Renan Calheiros, Teotônio Vilela, Marx Beltrão, Ronaldo Lessa, Heloísa Helena, e agora muitos apostam em uma possível candidatura do prefeito de Maceió Rui Palmeira, o que é pouco provável.

No caso de Rui Palmeira algumas situações devem ser observadas, e como exemplo, a de que na disputa para o governo ele enfrentaria o bem avaliado governador Renan Filho, um páreo difícil de ser enfrentado.

Mas hoje, a situação de Palmeira estaria mais confortável caso optasse a disputa para o Senado Federal, porque temos que levar em consideração que além das duas vagas, existe o desgaste dos principais nomes para essa disputa: Renan, Biu de Lira e Vilela.

Mas para que essa ideia seja concretizada, o prefeito de Maceió terá que se entender com um de seus maiores aliados – o senador Biu de Lira -, que também tenta a sua reeleição.

Outra questão que ele teria que resolver é convencer o ex-governador Téotônio Vilela dessa ideia, porque Téo é o presidente regional do PSDB e almeja uma das vagas para o Senado e, consequentemente, decidirá, via partido o destino do prefeito de Maceió.

Sabedor e consciente desta possibilidade, o senador Renan começa a torpedear o jovem prefeito Rui Palmeira. Devido a essas críticas o prefeito tem dado a resposta à altura nos últimos dias nos meios de comunicação.

Além de tudo isso outros nomes com forte poder e densidade eleitoral podem entrar na disputa, devido ao desgaste dos senadores Renan, Biu e Téo Vilela que estão enrolados nas investigações, processos, denúncias e delações no âmbito da Operação Lava Jato. Rena Calheiros é o campeão de processos a serem apreciados pelo STJ, são ao todo dezesseis.

É certo que esses três senadores tenham imensas dificuldades, ou que até desistam da candidatura para um voo com menor risco não pode ser descartada. Há quem diga que o velho senador Renan já pensa em uma segunda hipótese.

Marx Beltrão, Ronaldo Lessa, Mauricio Quintella, João Henrique Caldas e a combativa e experiente Heloísa Helena, estão avaliando todas as possibilidades se entram ou não na disputa.

Caso seja confirmada a entrada de Ronaldo Lessa e Heloísa, a tendência é de que o senador Renan Calheiros despenque nas pesquisas, pelo menos essa é a opinião do diretor do Instituto Falpe, Francisco Nunes.

Certamente essa será a eleição mais difícil para Renan, Biu de Lira e Téo Vilela porque as denúncias de envolvimento na Operação Lava Jato têm sido desgastantes, e ter que enfrentar a pesada artilharia e pancadaria de Heloísa Helena e/ou JHC, é tarefa bastante complicada.

O fato é que fazia tempo que o estado não testemunhava uma possibilidade concreta de derrota de algumas de suas principais lideranças políticas nos últimos dez, quinze anos.

Mas tudo isso começa a se decidir nas alianças, conjecturas, acordos que certamente irão acontecer nos bastidores dos partidos e entre os próprios candidatos.