Assassino de policial militar é novamente preso bebendo com arma de brinquedo

Thiago foi denunciado enquanto bebia com arma de brinquedo (Arquivo)

Um homem foi preso na tarde do domingo (16) enquanto bebia portando uma arma de brinquedo.

O flagrante aconteceu em uma choperia localizada em frente ao Loteamento Casa Forte, em um dos trechos da Avenida Menino Marcelo, bairro Antares, parte alta de Maceió.

Thiago Fagner Pernambuco Brito, que até 2011 trabalhava no sistema prisional em Maceió como agente penitenciário terceirizado, foi levado para a Central de Flagrante 1.

O preso, em abril de 2015, matou com cerca de 10 tiros o cabo da Polícia Militar (PM) Masiel Ferreira de Souza, 44, que era lotado na Diretoria de Apoio Logístico do Quartel do Comando Geral da PM. O militar foi morto após uma rápida discussão em uma lava-jato, de propriedade do acusado, que ficava localizado a poucos metros do Posto Jacutinga, também na Avenida Menino Marcelo.

Thiago, na época, só foi preso porque também foi baleado. Antes de morrer o militar teria alvejado o criminoso.

Na época, em sua defesa, Thiago disse que estava trabalhando em seu estabelecimento quando o militar chegou em uma moto.

Em seu relato o autor do crime disse que Masiel, aproveitando que ele (Thiago) estava sentado de costas, se aproximou e após sacar uma arma efetuou o disparou, que atingiu Thiago no pescoço. Na reação, o ex-terceirizado do sistema prisional correu e sacou a arma que estava na cintura, virou-se e atirou contra o policial – que, ao ser atingido pelo primeiro tiro, tentou fugir e, há aproximadamente três metros adiante, foi atingido por outro disparo, vindo a cair. Na sequência Thiago se aproximou e efetuou mais disparos contra a vítima.

Considerado por amigos como uma pessoa problemática, o acusado já foi preso anteriormente em outro estado após ser flagrado andando armado e dizendo que era policial.

Redação

Informações sobre este caso devem ser feitas ao Disque Denúncia, através do telefone 181. A ligação é gratuita e o denunciante não precisa se identificar. A informação também pode ser dada através do site DISQUE DENÚNCIA